OMS divulga novas diretrizes para tratamento de crianças com desnutrição grave

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou as novas diretrizes para o tratamento das quase 20 milhões de crianças menores de cinco anos em todo o mundo que sofrem de desnutrição aguda grave, incluindo opções que lhes permitem se recuperar em casa, além do tratamento daquelas com HIV.

Segundo a agência a desnutrição aguda grave ocorre quando bebês e crianças não têm energia, proteína e micronutrientes suficientes na dieta, combinado com outros problemas de saúde, como infecções recorrentes.

Ela é diagnosticada quando a circunferência da parte superior do braço é inferior a 115 milímetros ou quando a divisão matemática do peso pela altura resulta em um número extremamente pequeno.

As orientações da OMS recomendam que crianças com desnutrição aguda grave que não têm complicações de saúde que requerem hospitalização recebam alimentos altamente energéticos e antibióticos para tratar infecções em casa. Isto lhes permite se tratar junto de suas famílias e evitar o risco de contrair infecções hospitalares.

As novas diretrizes substituem as orientações da OMS de 1999, que recomendavam que todas as crianças gravemente desnutridas fossem hospitalizadas e ingerissem antibióticos e uma fórmula altamente energética contendo leite.

Outra novidade está relacionada ao tratamento de crianças com HIV gravemente desnutridas. As orientações antigas não recomendavam o teste de HIV em crianças com desnutrição aguda grave. Naquela época, havia pouca disponibilidade e pouca experiência no tratamento infantil com drogas antirretrovirais.

As novas diretrizes recomendam que crianças com desnutrição aguda grave em países onde o HIV é comum sejam rotineiramente testadas para o vírus e aquelas que são positivas devem começar a usar as drogas antirretrovirais, além de alimentos especiais e antibióticos para tratar a desnutrição.

Também foram abordadas pela primeira vez as necessidades das crianças com idade inferior a seis meses que sofrem de desnutrição aguda grave. A OMS recomenda que todos os bebês nesta faixa etária sejam amamentados para fins exclusivos de nutrição e proteção contra infecções, acrescentando que isto é particularmente importante para aqueles que estão gravemente desnutridos.

 

Fonte: http://www.onu.org.br/oms-divulga-novas-diretrizes-para-tratamento-de-criancas-com-desnutricao-grave/

Este post foi adicionado em Notícias. Crie um bookmark do link permanente.