Atlas Geografia do Uso de Agrotóxicos no Brasil e Conexões com a União Europeia


Aconteceu no último dia 28 o lançamento do estudo “Geografia do Uso de Agrotóxicos no Brasil e Conexões com a União Europeia, de autoria da pesquisadora Larissa Mies Bombardi, do Laboratório de Geografia Agrária da USP. O estudo, inédito, traça um paralelo entre a legislação e o consumo de agrotóxicos no Brasil e na EU e aponta alguns dados alarmantes a respeito do uso de agrotóxicos aqui.
Segundo o estudo de Larissa, existem 504 agrotóxicos de uso permitido no Brasil, sendo que 30% desses são proibidos na União Europeia – alguns há mais de uma década. E estes mesmos itens vetados estão no ranking dos mais vendidos.
Além disso, mesmo entre os produtos de uso liberado pela União Europeia, a lei brasileira permite limites muito superiores aos europeus, chegando até 5 mil vezes maior no caso da água potável.

Desde 2008 o Brasil é o país campeão mundial em uso de agrotóxicos, totalizando 20% do que é comercializado mundialmente. Não bastasse, o manuseio não parou de crescer. Entre 2000 e 2014, mostrou o estudo, o Brasil saltou de cerca de 170 mil toneladas para 500 mil, aumento de 194% em quinze anos.
Aumento esse que não está ligado a um aumento da produção de alimentos por hectare, mas pode estar relacionado ao aumento da concentração de terras e da plantação de produtos que usam grandes quantidades de herbicidas. Em 2003 as fazendas declaradas com área superior a 100 mil hectares ocupavam 2% de todo o território destinado a imóveis rurais no país, em 2015, o número saltou para 18%. Em 13 anos, a área cultivada de soja aumentou 79% no Brasil.

É possível fazer o download gratuito do Atlas através do link https://goo.gl/4XY3SS ou adquirir o formato impresso pelo blog https://www.larissabombardi.blog.br/atlas2017 a partir do dia 11/12/2017

Fonte: Repórter Brasil

 

Este post foi adicionado em Notícias com a tag(s) , , , . Crie um bookmark do link permanente.