Estados e municípios recebem orientações para prevenir e controlar obesidade

A Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional (Caisan Nacional) divulgou, nesta terça-feira (20), documento com recomendações de prevenção e controle da obesidade para os estados e municípios. São 68 páginas contendo ações que já vêm sendo adotadas pelo governo federal – muitas delas, inclusive, podem ser acessadas nos sites dos ministérios, como o da Saúde, da Educação e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

Leia o documento: Estratégia Intersetorial de Prevenção e Controle da Obesidade

O documento é resultado da atuação conjunta entre o governo federal, a sociedade civil e a Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil (OPAS/OMS). Está dividido em seis eixos: disponibilidade e acesso a alimentos adequados e saudáveis; ações de educação, comunicação e informação; promoção de modos de vida saudáveis em ambientes específicos; vigilância alimentar e nutricional; atenção integral à saúde do indivíduo com sobrepeso/obesidade na rede de saúde; e regulação e controle da qualidade e inocuidade de alimentos.

O objetivo é orientar estados e municípios sobre como desenvolver ações locais para prevenir e controlar o problema do excesso de peso registrado no país, por meio de mudanças na alimentação e da prática regular de atividades físicas. A finalidade da publicação é promover hábitos que gerem melhor qualidade de vida e menor carga de doenças na população.

“Nos últimos anos, o Brasil reduziu drasticamente a fome. Por outro lado, 50% da população adulta passaram da linha do sobrepeso”, declarou o secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS, Arnoldo de Campos. “A situação é mais grave na faixa de baixa renda, que consome muitos produtos processados e possui pouco acesso a estruturas adequadas para atividades físicas”.

As causas não são apenas individuais, mas também ambientais e sociais, sobre as quais a pessoa tem pouca capacidade de interferência. Nesta perspectiva, a situação requer do Estado medidas complexas articuladas em diferentes níveis e setores, com a participação da sociedade civil. Entre elas, promover o consumo saudável de alimentos, como grãos integrais, raízes, tubérculos, leguminosas, oleaginosas, frutas, hortaliças, carnes e peixes, leites e ovos.

Segundo a coordenadora-geral de Educação Alimentar e Nutricional do MDS, Janine Coutinho, o documento visa, numa ação articulada nos estados e municípios, contribuir com a reversão do atual quadro de aumento de peso entre a população no Brasil. “Sabemos que o enfrentamento da obesidade precisa ser multissetorial, uma vez que os determinantes também o são”, declarou. “Mas não basta realizar ações de orientação e comunicação para a população; é fundamental fomentar ambientes que favoreçam a escolha alimentar adequada e ações regulatórias de publicidade de alimentos para as crianças, por exemplo”.

 

Fonte: Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

 

Este post foi adicionado em Notícias com a tag(s) . Crie um bookmark do link permanente.